Como fazer recrutamento para startups

2019-06-05T15:36:45-03:0021 julho, 2017|Estratégia Corporativa, Talent Management|

Saiba quais pontos fundamentais deve avaliar ao realizar o processo de recrutamento para startups.

Uma startup é um projeto de negócios empreendedor, inovador e em fase de criação. Dessa forma, geralmente contam com recurso reduzido. Um erro comum entre esses empreendedores é não investir no recrutamento e seleção dos funcionários.

O processo de contração realizado pelo RH de uma startup possui algumas especificidades. Por esse motivo, o recrutamento especializado pode ser o divisor de águas entre uma ideia que deu certo ou não.

É preciso estar atento às particularidades e como o startup RH realmente funciona. A seguir, vamos informar sobre alguns pontos importantes para se levar em conta na hora do recrutamento.

Reconheça talentos e desenvolva funcionários
a partir da Matriz de Talentos!

eBook SER | Gestão de Talentos - Talent Grid

1. Leve em conta os riscos do negócio

Esse tipo de empresa é fundada sobre uma ideia ousada. Dessa forma, é um negócio que está sujeito a instabilidade, ainda que ele possibilite um grande retorno financeiro.

O colaborador a ser contratado deve estar ciente que, por esses motivos, trata-se de um contrato de risco. É importante que isso seja esclarecido para que ele não desista na primeira oscilação.

2. Busque aqueles que se identificam com os valores da empresa

É fundamental que o funcionário se identifique com os princípios da empresa. Caso não acredite na causa, ele não se dedicará ao máximo ao trabalho e deixará a empresa na primeira oportunidade.

Uma startup é um empreendimento de motivação. Ou seja, os colaboradores precisam ter um espírito empreendedor, vestir a camisa da empresa. O sonho de fazer o negócio dar certo deve ser também o seu objetivo.

Reconheça talentos e desenvolva funcionários
a partir da Matriz de Talentos!

eBook SER | Gestão de Talentos - Talent Grid

3. Conte com profissionais flexíveis

O fator de risco que o profissional a ser contratado precisa estar ciente também se refere aos momentos de instabilidade que a empresa pode passar. Isso quer dizer que o colaborador deve se adaptar e saber lidar com momentos de maior estresse e de instabilidade financeira pelos quais a empresa possa passar.

Nem sempre a pessoa mais técnica é a ideal para trabalhar em uma startup. É importante que a pessoa esteja disposta a, muitas vezes, ter que fazer um esforço extra, trabalhar nos finais de semana etc.

Ele deve ser capaz de entender que esses momentos de instabilidade contribuem para o crescimento e união da equipe que está em busca de um objetivo comum: fazer o negócio dar certo.

4. Fique atento ao controle emocional do candidato

Startups são negócios de risco, que, por muitas vezes, podem ser instáveis e isso exige constante capacidade de adaptação. Não é possível sobreviver aos altos e baixos inerentes a esse perfil de empreendimento se não tiver uma boa inteligência emocional.

Inteligência emocional se refere à capacidade de manter o equilíbrio, mesmo quando tudo à sua volta caminha para o sentido oposto. É preciso que o colaborador seja capaz de manter a calma para conseguir resolver os imprevistos, quando isso for exigido.

Caso contrário, a desestabilização de uma pessoa pode comprometer uma equipe inteira, principalmente se ela ocupar uma posição de liderança.

Nem toda pequena empresa é uma startup. Existem especificidades para esse tipo de negócio que precisam ser levadas em conta. Principalmente no que se refere a um âmbito estratégico para o negócio, como é o RH. Investir em tecnologias de gestão de pessoas adaptada a cada tipo de negócio pode determinar até quão longe uma ideia pode chegar.

Agora que você se informou sobre as especificidades do recrutamento e seleção em startups, compartilhe esse conhecimento com a sua rede de contatos!