Comparar Remuneração – A grama do vizinho é mais verde

2019-05-13T22:38:06-03:0022 novembro, 2018|Gestão de Remuneração|

 

Todo funcionário sempre acha que esta ganhando pouco no Brasil, mesmo em tempo de crise em que as filas gigantescas de desempregados ocupam diversos quarteirões, a percepção humana muda rapidamente. O ato de comparar remuneração precisa ser sempre muito bem feita, para não trazer conclusões erradas ou falsas percepções.

É natural que para o desempregado, que não está recebendo nenhum salário, o fato de conseguir um emprego e passar a receber um salário e com isto poder pagar algumas de suas contas e sobreviver com dignidade é percebido como algo bom sem dúvidas. Mas também é certo que esta percepção tem prazo de validade. Após o decorrer de alguns meses, e quitadas algumas contas que estavam atrasadas reestabelecendo um novo equilíbrio em seu orçamento, este funcionário entra para um novo ciclo perceptivo. Ele passa a fazer comparações e pesquisas sobre sua remuneração.

Agora que ele tem um salário ele pode entrar na internet e pesquisar em alguns sites especializados e obter informações comparativas com o mercado. Ocorre que estas comparações são muito genéricas, posto que não levam em conta regiões do país nem o tamanho das organizações, estruturas organizacionais e muito menos o tamanho e nível de responsabilidade e contribuição dos cargos. São pesquisas por títulos dos cargos, e em muitos casos baseadas em banco de dados de currículos, refletindo, portanto, as expectativas de ganhos de candidatos e não a realidade praticada pelas empresas.

Embora o empregado até possa saber e entender isso, os resultados de sua pesquisa de certo, já começam a mudar sua percepção atribuindo valores percentuais sobre como ele percebe o seu salário. E como salário é considerado um fator higiênico para a manutenção de um bom e motivador clima organizacional, isto poderá ou não abrir a porta para algum impacto na produtividade.

Entenda de forma simples como fazer
uma boa Política de Remuneração!

eBook Remuneração

cta_baixe_ebook_gratis_azul

No entanto existe algo que é de fato mais impactante no clima organizacional das organizações. É quando o empregado descobre que seu colega do lado tem um salário diferente do dele. Afinal eles trabalham fazendo o mesmo serviço, na mesma empresa, com os mesmos recursos, estruturas e até os mesmos chefes, então quais os racionais para explicar as diferenças salariais entre ele e seu colega. Tempo de casa talvez, dependendo do tempo poderia até justificar, mas o tempo passa para todos e o argumento não é suficiente para impedir que a desmotivação aconteça.

Embora os holerites sejam fechados, não se iluda, os empregados trocam informações. Mesmo que ocupem cargos diferentes, as comparações ocorrem na busca por compreender se existe Coerência Interna entre o nível de responsabilidade e contribuição dos cargos e os salários que são pagos.

Para além das contingências trabalhistas, a Coerência Interna nas remunerações pode ter forte impacto no clima organizacional e minimizar resultados financeiros das organizações.

E por falar nisto, como está a Coerência Interna da sua organização?

Texto produzido por Fernando Curral e Carlos Eduardo Oliveira da People Right, Parceira SER em implementação de Gestão Estratégica de Remuneração.