O Que é Motivação? Qual o Seu Papel nas Organizações?

2019-05-13T21:43:59-03:0024 janeiro, 2019|Gestão de Pessoas|

 

Motivação é um conceito utilizado na área de Recursos Humanos e em outras áreas do conhecimento, como a Psicologia, para definir um conjunto de processos internos de um indivíduo que o capacitam e estimulam a realizar determinadas tarefas ou alcançar as metas que almeja. Esses processos internos geralmente podem ser estimulados pelo próprio indivíduo ou por fatores externos. Desta forma, motivar uma pessoa é possibilitar que ela tenha as condições necessárias para o seu desenvolvimento e garantir que a mesma alcance o máximo de seu potencial.

Os principais fatores que englobam a Motivação são: Estimulação, Ação e Esforço, Movimento e Persistência, e Recompensa. Pensando na motivação como o englobamento destes fatores em um processo de engajamento dos profissionais para atingirem os seus objetivos, o ideal é que exista uma relação mútua entre a organização e colaborador, a fim de que o mesmo tenha condições de atingir as suas metas pessoais e profissionais ao mesmo tempo em que contribui para que a empresa atinja seus objetivos, alcance sua visão e sua missão de futuro.

Cabe ao RH um olhar crítico, dentro da Gestão de Pessoas, sobre como manter os profissionais motivados, garantindo bons resultados e evidenciando o seu potencial de crescimento.

Desempenho, Potencial e Motivação

O desempenho de um profissional está correlacionado a diversos fatores. Muitas vezes, estes fatores são analisados dentro de avaliações de metas ou de competências. Esses métodos de avaliação costumam focar características comportamentais e técnicas (competências) dos profissionais e na capacidade dos mesmos de desempenharem determinadas tarefas em um determinado período de tempo (metas). Essa avaliação, mais tradicional, é capaz de identificar onde o profissional está se desempenhando bem, quais são os pontos positivos e quais são os pontos que deve desenvolver tanto nas suas atitudes quanto no seu conhecimento técnico e qualificação para realizar as tarefas exigidas por sua área. Porém, para além disso, existem também outros dois importantes fatores que podem ser levados em conta em um processo global de Avaliação de Desempenho: O potencial deste profissional e a sua motivação.

Dados e Produtividade entenda essa relação
tão importante para a empresa

cta_baixe_ebook_gratis_azul

Dentro de um processo de Avaliação de Desempenho, é possível correlacionar a motivação de um profissional e seus resultados? E como estimular isso?

Para analisar a motivação de um profissional, os fatores que englobam a dinâmica que impulsionam a mesma – Estimulação, Ação e Esforço, Movimento, Persistência e Recompensa   precisam ser considerados, a partir de suas características de motivação intrínseca (o quanto as atividades realizadas estão gerando realização pessoal, quais as expectativas de carreira do profissional) ou extrínseca (reconhecimento do trabalho, recompensas, bônus, etc).

Essa análise pode servir como um complemento que justifique até mesmo resultados abaixo do esperado em uma avaliação de desempenho. Pois, quando um profissional trabalha desmotivado, a tendência é de que o seu potencial não seja atingido da melhor forma possível e que o seu rendimento caia. Um fator importante dentro dessa análise, é a continuidade em que a mesma deve ser realizada. A motivação não é uma constante, ou seja, pode variar de acordo com o momento no qual o profissional se encontra em sua vida pessoal e profissional. Desta forma, Avaliações de Desempenho e Feedbacks contínuos tendem a evidenciar de maneira mais precisa quais são as lacunas motivacionais que podem estar impedindo o profissional de alcançar o seu potencial. A Matriz de Talentos e o PDI, a médio e longo prazo, pode contribuir para o estímulo e desenvolvimento deste potencial.

Os principais fatores que englobam a Motivação são: Estimulação, Ação e Esforço, Movimento e Persistência, e Recompensa. Pensando na motivação como o englobamento destes fatores em um processo de engajamento dos profissionais para atingirem os seus objetivos, o ideal é que exista uma relação mútua entre a organização e colaborador, a fim de que o mesmo tenha condições de atingir as suas metas pessoais e profissionais ao mesmo tempo em que contribui para que a empresa atinja seus objetivos, alcance sua visão e sua missão de futuro.

Cabe ao RH um olhar crítico, dentro da Gestão de Pessoas, sobre como manter os profissionais motivados, garantindo bons resultados e evidenciando o seu potencial de crescimento.

Dados e Produtividade entenda essa relação
tão importante para a empresa

cta_baixe_ebook_gratis_azul

Desempenho, Potencial e Motivação

O desempenho de um profissional está correlacionado a diversos fatores. Muitas vezes, estes fatores são analisados dentro de avaliações de metas ou de competências. Esses métodos de avaliação costumam focar características comportamentais e técnicas (competências) dos profissionais e na capacidade dos mesmos de desempenharem determinadas tarefas em um determinado período de tempo (metas). Essa avaliação, mais tradicional, é capaz de identificar onde o profissional está se desempenhando bem, quais são os pontos positivos e quais são os pontos que deve desenvolver tanto nas suas atitudes quanto no seu conhecimento técnico e qualificação para realizar as tarefas exigidas por sua área. Porém, para além disso, existem também outros dois importantes fatores que podem ser levados em conta em um processo global de Avaliação de Desempenho: O potencial deste profissional e a sua motivação.

Dentro de um processo de Avaliação de Desempenho, é possível correlacionar a motivação de um profissional e seus resultados? E como estimular isso?

Para analisar a motivação de um profissional, os fatores que englobam a dinâmica que impulsionam a mesma – Estimulação, Ação e Esforço, Movimento, Persistência e Recompensa   precisam ser considerados, a partir de suas características de motivação intrínseca (o quanto as atividades realizadas estão gerando realização pessoal, quais as expectativas de carreira do profissional) ou extrínseca (reconhecimento do trabalho, recompensas, bônus, etc).

Essa análise pode servir como um complemento que justifique até mesmo resultados abaixo do esperado em uma avaliação de desempenho. Pois, quando um profissional trabalha desmotivado, a tendência é de que o seu potencial não seja atingido da melhor forma possível e que o seu rendimento caia. Um fator importante dentro dessa análise, é a continuidade em que a mesma deve ser realizada. A motivação não é uma constante, ou seja, pode variar de acordo com o momento no qual o profissional se encontra em sua vida pessoal e profissional. Desta forma, Avaliações de Desempenho e Feedbacks contínuos tendem a evidenciar de maneira mais precisa quais são as lacunas motivacionais que podem estar impedindo o profissional de alcançar o seu potencial. A Matriz de Talentos e o PDI, a médio e longo prazo, pode contribuir para o estímulo e desenvolvimento deste potencial.

1
Olá, podemos ajudar?
Powered by