5 dicas para uma boa política de remuneração

2019-06-12T16:36:45-02:0029 maio, 2017|Estratégia Corporativa, Gestão de Remuneração|

Descubra como a política de remuneração ajuda a garantir a retenção e contratação de talentos na sua empresa.

Uma empresa que deseja reter os seus maiores talentos e criar uma cultura de valorização dos profissionais precisa implementar uma boa política de remuneração. Isso porque o mercado está bastante competitivo e as organizações cada vez mais ávidas por colaboradores especializados, o que, devido à escassez, faz com que elas usem diferentes estratégias para recrutá-los — dentre elas, o salário.

O fato é que não adianta estabelecer uma remuneração sem critérios, dando margem a arbitrariedades dentro das organizações. Pensando nisso, criamos esse artigo visando ajudá-lo no estabelecimento de uma política de remuneração adequada. Continue a leitura e confira as nossas dicas!

1. Coloque no papel todas as funções dos cargos

O primeiro passo no processo de criação de uma política de remuneração eficaz é descrever todas as funções desempenhadas em cada cargo. Para isso, conte com a ajuda de gestores, coordenadores e analistas da área.

Tal tarefa é fundamental, pois assim, você terá uma noção da complexidade de cada função. Ou seja, poderá avaliar as experiências, formação e requisitos exigidos para ocupá-la. Só assim será possível definir um salário e suas bonificações de maneira justa.

Entenda de forma simples como fazer
uma boa Política de Remuneração!

2. Faça uma análise dos salários pagos no mercado

Como gestor, você deve conhecer as dificuldades que o RH tem para conquistar os melhores talentos para a empresa. Além disso, é importante também conhecer a realidade de outras empresas no mercado — algumas oferecem uma série de benefícios aos colaboradores, o que pode fazer com que eles as prefiram.

Por esse motivo, faça uma pesquisa de mercado detalhada. Conheça os salários pagos no mercado, pesquise o que os funcionários valorizam mais dentro dessas organizações, os benefícios e os diferenciais oferecidos por elas. Assim, será mais simples alinhar a política de remuneração dentro da sua companhia.

3. Verifique se os salários são compatíveis com o orçamento da empresa

De nada adianta estabelecer uma política de remuneração que supervalorize os funcionários, e oferecer inúmeros benefícios, se a empresa não tem como arcar com isso em longo prazo. Aliás, isso pode até mesmo gerar problemas trabalhistas futuros, se você, por exemplo, não cumprir com o combinado ou atrasar pagamentos.

Por esse motivo, busque o equilíbrio entre a valorização do capital humano e as condições financeiras da empresa. Assim, os funcionários que aceitarem o que foi determinado trabalharão conscientes e, à medida que a empresa for crescendo e obtendo maiores lucros, será possível aumentar os benefícios oferecidos.

4. Não deixe de lados os benefícios

Ao longo deste artigo falamos algumas vezes sobre a questão dos benefícios. Eles são muito importantes e uma forma de complementar a política de remuneração, principalmente se as possibilidades da empresa não permitem oferecer salários altos.

O mercado moderno tem mostrado que os trabalhadores também buscam qualidade de vida, equilíbrio na vida pessoal e valorização da família. A partir disso, estabeleça os benefícios da sua empresa. Vale-refeição, auxílio-creche, assistência médica, bolsa de estudos, possibilidade de trabalho home-office, ambiente agradável (com mimos para os funcionários) são alguns dos exemplos do que conquistam um profissional talentoso.

Entenda de forma simples como fazer
uma boa Política de Remuneração!

5. Implemente a política de remuneração e saiba o que funciona melhor

É fundamental que a empresa não deixe apenas a política de remuneração no papel. Para isso, conte com toda a ajuda possível para fazer a implementação e não se esqueça de estabelecer os objetivos desejados com ela.

Observe o que funciona, para que seja possível substituir por ações mais eficazes. Para tanto, será preciso definir as métricas de desempenho dessa nova política, a evolução do processo e deixar isso claro para todos os colaboradores que atuam na instituição, por meio de uma comunicação transparente.

Ao envolver todos os seus funcionários nessa tarefa, ficará mais fácil implementar o projeto. Feito isso, você verá que criar uma política de remuneração não é tão difícil e que ela é essencial para manter o seu negócio competitivo.

Depois de conhecer as nossas dicas, que tal compartilhar este artigo nas suas redes sociais? Ajude outros gestores que ainda têm dúvidas sobre o assunto!

Deixar Um Comentário