Como superar desafios e engajar funcionários na minha empresa?

2019-05-17T09:38:39-02:0016 março, 2018|Talent Management|

O cenário econômico atual é implacável: um mercado altamente competitivo, composto por empresas de todos os setores e portes que entregam produtos e serviços com níveis de qualidade bastante semelhantes. E todas essas organizações estão aptas a oferecer o que o consumidor quer e, portanto, em busca de se diferenciar para atrair a atenção do público-alvo e influenciar sua decisão de compra. Sendo assim, engajar funcionários é a melhor forma de criar um diferencial competitivo.

Essa diferenciação só é possível devido a dois ativos essenciais para qualquer negócio: o valor da marca no mercado e o capital humano da empresa. Porém, a marca e o seu posicionamento podem ser copiados pelos concorrentes, enquanto o capital humano, as pessoas que compõem o time de colaboradores de uma organização, é absolutamente único e impossível de copiar.

Por isso, o capital humano deve ser encarado como o ativo mais importante para que a empresa se diferencie em produtividade e lucratividade no mercado e, portanto, sua gestão deve ser feita por um Recursos Humanos (RH) estratégico, focado em engajar o público interno e totalmente alinhado com as decisões da alta hierarquia e as metas atuais e futuras do negócio.

Quando engajado, o colaborador se compromete intelectual e emocionalmente com as metas traçadas, pois ele enxerga claramente o papel que desempenha no todo e o reconhecimento da empresa diante de suas entregas.

E como engajar os colaboradores? Como as empresas fazem para encarar os desafios e atingir cenários positivos de engajamento interno? Elas atuam, necessariamente, com os pilares de Gestão de Pessoas, os quais abordaremos a seguir.

Toda empresa deve ter a Cultura
Organizacional bem definida. A sua tem?

Cultura organizacional

Para garantir que funcionários de perfis e origens completamente diferentes compreendam os objetivos da empresa e a importância do papel de cada um no todo, é preciso que haja um discurso empresarial único a ser colocado em prática no dia a dia e que siga três premissas essenciais:

  • deve refletir a missão, a visão de futuro, os valores que pautam a atividade no mercado e os objetivos da empresa;
  • deve estar impregnado em todos os materiais de comunicação, em todos os projetos da empresa, nas políticas de RH e nas conversas dos gestores com as suas equipes;
  • deve ser adaptado à linguagem de cada público, ao momento e ao meio utilizado para propagá-lo.

Seguindo esses três passos essenciais, é possível manter um discurso empresarial sempre vivo, impregnado no clima da empresa e na mente dos colaboradores de todos os níveis hierárquicos. A empresa estará, assim, no caminho certo para construir e manter uma cultura organizacional consistente, forte e vinculada com as metas de negócios traçadas.

Diretrizes estratégicas para o RH

Em empresas que encaram a cultura organizacional com seriedade, todas as iniciativas de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas possuem o objetivo de colaborar com a manutenção e fortalecimento de tal discurso.

Então, os critérios e processos utilizados no Recrutamento e Seleção, a política de Cargos e Salários e a estratégia de Plano de Carreira estarão alinhados aos mesmos valores, objetivos e pilares estratégicos.

E, assim, será mais fácil encontrar colaboradores que tenham afinidade e valores semelhantes aos da empresa, reter talentos que enxergam e sentem orgulho do papel que exercem, desenvolver competências e habilidades em profissionais engajados com a empresa e, como consequência de tudo isso, reduzir a rotatividade de pessoas.

Alinhamento com os gestores

É claro que todos esses esforços da área de RH só trarão resultados perenes caso os gestores de cada área trabalhem juntos na missão de cascatear a cultura organizacional e a estratégia de negócios da empresa, de modo a manter as equipes engajadas em seus desafios individuais totalmente vinculados aos desafios organizacionais.

Ou seja, se os gestores compreendem bem onde a empresa quer chegar e qual o papel de cada departamento nesse desafio, eles serão aptos a espelhar os objetivos estratégicos da companhia nos objetivos e metas profissionais de cada colaborador, bem como acompanhar a performance do time por meio de métricas importantes para a empresa e avaliar as competências que precisam ser desenvolvidas em cada pessoa da equipe.

Gestor alinhado com as metas empresariais, equipe ciente e motivada quanto ao papel e importância que desempenham no todo, empresa reconhecendo genuinamente os esforços do time através de remuneração, políticas de reconhecimento e benefícios tangíveis e intangíveis. Como todo esse cruzamento de dados pode ser possível, se estamos falando de empresas com centenas ou milhares de funcionários, distribuídos em departamentos diversos que, muitas vezes, não estão alocados no mesmo escritório nem na mesma cidade? Como engajar pessoas que não compõem um grupo coeso no dia a dia?

Somente através de uma complexa rede de captação, geração e organização de informações da empresa e de seus funcionários, que só se faz possível através dos softwares de Gestão de Pessoas e Recursos Humanos.

Toda empresa deve ter a Cultura
Organizacional bem definida. A sua tem?

Tecnologia a favor do engajamento

Por meio de soluções tecnológicas inovadoras e de fácil utilização, os softwares auxiliam as empresas na gestão estratégica de pessoas. Hoje, existe uma grande quantidade de opções de sistemas no mercado, desde os mais simples e gratuitos, para as pequenas empresas, até os mais complexos, utilizados pelas grandes corporações.

Todos esses sistemas de gestão de pessoas possuem a finalidade de automatizar e tornar amigáveis os processos de RH, como a avaliação de competências, a gestão de carreira, o plano de desenvolvimento dos funcionários, a gestão de metas, a remuneração, entre outros.

Com a tecnologia trabalhando a favor do capital humano, é possível ter ferramentas simples que permitam envolver toda a empresa na cultura da mútua avaliação em prol do crescimento, do acompanhamento de números e metas, do cascateamento de objetivos estratégicos. Ou seja, é possível, no dia a dia, construir e sustentar uma cultura de engajamento e alto desempenho nos negócios.

Todos esses pontos que abordamos mostram que, quando uma empresa entende que seu time de funcionários é o seu principal diferencial estratégico no mercado, a área de RH assume um papel fundamental ao lado da alta gestão para atuar na valorização e no engajamento dos colaboradores da companhia e no alinhamento de toda a empresa quanto às metas a alcançar, à visão de futuro a perseguir e aos valores que devem sustentar a subida de cada degrau.

E em sua opinião, quais são os principais desafios da área de RH para descobrir como engajar colaboradores na atualidade? Deixe um comentário e nos ajude a enriquecer o debate a respeito dos assuntos mais importantes sobre Gestão de Pessoas!

Deixar Um Comentário