Aumento de Remuneração – Chefe, quando vem o meu aumento?

2019-05-13T22:28:49-02:0029 novembro, 2018|Gestão de Remuneração|

Assunto difícil, que todo líder já enfrentou ou esta prestes a enfrentar, o aumento de remuneração não pode ser tratado sem o devido cuidado.

Quem de nós, que ocupou algum cargo de liderança que nunca ouviu essa pergunta?

E aí chefe, quando vem o meu aumento?

Tão frequente se ouve isto, que as resposta bem-humoradas são conhecidas por todos, lideres e liderados. Aumento? Aumento aqui, só se for de serviço!

Ainda aparece no caldo cultural brasileiro a ideia de que ajustes, enquadramentos e aumentos salariais venham ocorrer por tempo de casa em detrimento de desempenhos superiores. Mesmo o setor público, tendo nos últimos anos aceitado integrado formas para medir a meritocracia, ainda mantém mecanismos atrelados ao tempo de serviço como os biênios, quinquênios, quinta e sexta parte do salário.

No setor privado, também encontramos resquícios desta pratica ligada a temporalidade em algumas políticas de remuneração sob a justificativa da retenção de profissionais.

Fato é, que isto ainda sobrevive provavelmente pela característica da economia de energia do ser humano. É muito raro ouvirmos dos liderados outros tipos de perguntas, tais como: E aí chefe, como eu posso contribuir mais? E aí chefe, como eu posso melhorar meu desempenho? E aí chefe, o que temos que fazer a mais para receber um aumento de salário? E aí chefe, você está contente com o meu desempenho?

Entenda de forma simples como fazer
uma boa Política de Remuneração!

eBook Remuneração

cta_baixe_ebook_gratis_azul

Pois é, instalar-se uma cultura de performance não é fácil. Em especial nas áreas de apoio e produção que estão pouco acostumadas a serem avaliadas com impactos sobre a remuneração. Além disso existe a interferência sindical, que finalmente na última reforma foi minimizada. Por sua própria natureza, na ponta comercial, isto já se torna mais fácil, posto há muito existir a comissão e metas de vendas para composição da remuneração.

É uma questão de bom-senso e justiça, claro que em nosso pais nem sempre óbvia! Observadas premissas de adequada proporção entre o impacto, competências e responsabilidades de cada cargo na estrutura organizacional para determinação das bases de remuneração. As demais diferenciações salariais devem decorrer em função do desempenho.  para o desempenho superior, remuneração superior.

Portanto, uma vez reconhecida esta verdade justa e óbvia, o problema que se apresenta está ligado as metodologias de avaliação que possam assegurar a minimização das subjetividades dos avaliadores, sob pena da deterioração do clima organizacional. Mas isto é assunto mais técnico, que abordaremos em um outro momento.

E você? Como anda seu desempenho? Quando foi a última vez que recebeu aumento?

Texto produzido por Fernando Curral e Carlos Eduardo Oliveira da People Right, Parceira SER em implementação de Gestão Estratégica de Remuneração.