Tecnologia: uma aliada ou uma pedra no caminho dos líderes?

2019-07-11T10:05:28-02:008 março, 2017|Tecnologia para RH|

 

A tecnologia tem como princípio básico tornar processos do nosso dia-a-dia mais simples e fáceis, além de trazer novas funcionalidades para otimizar o trabalho. Por esse motivo, muitas empresas já não querem ficar para trás e estão buscando inovações que ajudem a melhorar o funcionamento da empresa, principalmente ferramentas que possam auxiliar os líderes.

Uma pesquisa realizada pela consultoria americana Accenture em 2017, com mais de 5,4 mil executivos de negócios e de TI em todo mundo, mostrou que para 58% deles a tecnologia é benéfica ao facilitar e acelerar a comunicação dos líderes com as equipes. Além disso, para quase metade deles os avanços tecnológicos favorecem a flexibilização do local de trabalho e aumentam a acessibilidade.

Hoje, a área de Recursos Humanos já conta com inovações que estão nas empresas e outras que talvez cheguem apenas daqui alguns anos, mas uma coisa é fato: não há como escapar da inovação, ou você se adapta ou você fica para trás.

Sejam essas tecnologias mobile, big data, Internet das Coisas ou mesmo a inteligência artificial, é importante saber se ela é realmente necessária para o seu negócio, se vale o investimento e se ela vai de fato te ajudar. Caso você não as conheça, tudo bem! Vamos explicar cada uma delas e mostrar como elas ajudam os líderes no desenvolvimento de equipes melhores.

Aprenda passo a passo a escolher um modelo
de avaliação e como implantá-lo!

eBook SER | Guia Completo de Avaliações de Desempenho

 

Por que implantar tecnologias para ajudar meus líderes?

Hoje, os líderes têm um papel muito importante nas empresas, que, além de dar um direcionamento, é o de manter a equipe motivada, sem que se crie um ambiente hostil e de ameaças. Já se notou que a maioria das pessoas trabalha melhor com alguém que as ajude, estenda a mão e seja mais como um guia, do que com uma pessoa que mande, apenas.

Essa atitude deve ser levada em conta na hora de escolher as tecnologias com as quais irá trabalhar. Neste ano, no relatório anual da Accenture, sobre as tendências tecnológicas mais significativas para os negócios, o tema escolhido foi “Tecnologia para as Pessoas – A Era da Empresa Inteligente”.

O tema faz um chamado para que os líderes busquem e direcionem ferramentas que aumentem e ampliem as capacidades humanas. No relatório vemos que estão começando a surgir tecnologias que vão antecipar nossas necessidades e oferecer experiências totalmente personalizadas. Isso é tecnologia para pessoas, não diretamente para empresas, por isso os líderes devem ficar atentos para essas tendências.

Novas tecnologias para liderança

Talvez você já tenha ouvido falar em algumas das tecnologias que vamos apresentar aqui, porém vamos explicar como aplica-las na gestão de pessoas, de forma a auxiliar o líder a executar melhor suas tarefas, melhorando sua comunicação com a equipe, a organização, os conhecimentos aplicados, a visão estratégica e muitos outros atributos.

Big Data/ Analytics: A aplicação de novas tecnologias gera uma infinidade de dados que podem ser usados para tomar decisões certeiras, como por exemplo uma melhor contratação. Antes os departamentos de RH amontoavam currículos e isso tornava o trabalho bem mais difícil quando era necessária uma contratação. Agora, com uma boa base de dados, é possível já sinalizar quem são os talentos, para qual setor e tudo de forma rápida e prática.

O Big Data pode também ajudar a identificar erros muito mais rápido. Isso porque todos os dados estão reunidos em um único lugar e identificando o problema de forma rápida, é mais fácil ainda pensar na solução e evitar que ele se estenda por muito tempo. A ferramenta serve também para prevenção de erros, já que pode ser “vigiada” o tempo todo.

Por último, os dados podem ajudar a analisar o desempenho de cada um dos colaboradores e faz com que o líder consiga enxergar muito além. Obviamente, os dados não substituem a experiência humana, mas podem ajudar a organizar os resultados e dar uma análise de como cada um está se saindo, ou o que cada colaborador precisa. Muitas empresas usam big data para fazer matriz de talentos. Um exemplo é a PwC que desenvolveu com a SER um case de uma matriz de talentos de 12 quadrantes para analisar os colaboradores.

Internet das Coisas: Muitos já ouviram falar sobre Internet das Coisas (IoT) e como ela pode trazer mais conforto e comodidade para nossa vida, principalmente pessoal. Conhecemos essa tecnologia dentro de casa, podemos acender luzes e abrir janelas apenas com um toque no celular ou mesmo controlar a temperatura da casa num simples botão, já temos dispositivos de música conectados direto em nossos carros que escolhem nossas preferências e etc. Esses são alguns dos grandes benefícios de se ter tudo conectado.

Porém dentro da empresa, para um líder, a IoT pode trazer também muitas vantagens. Segundo o Gartner em 2020 deveremos ter mais de 40 bilhões de dispositivos conectados (excluindo-se da lista smartphones, tablets e celulares), que devem gerar trilhões de dólares de valor econômico na economia mundial, em tecnologias e, principalmente, serviços.

E como isso impacta na liderança? Dentro da área de gestão você poderá ter formas diferentes de conduzir os fluxos e, um exemplo disso, é que a empresa pode usar tecnologias mobile, de sensor ou qualquer outro dispositivo para avisar sobre entrada, presença e afastamento de um colaborador. O controle do RH ficará totalmente digital e o líder poderá focar em questões que exigem mais atenção.

Essa integração de funcionários com as tecnologias poderá ajudar a otimizar alguns processos que são feitos hoje de forma manual e dependem muito uns dos outros. Quando tudo está integrado, a tendência é que o trabalho possa fluir melhor, sem interrupções ou contratempos. Não quer dizer que não poderão existir, mas quando o líder tem o controle de onde parou a tarefa e com quem, ele já vai direto na fonte do problema para solucioná-la.

Aprenda passo a passo a escolher um modelo
de avaliação e como implantá-lo!

eBook SER | Guia Completo de Avaliações de Desempenho


Mobile:
Esta é uma das tecnologias que já está muito perto de nós. Hoje temos uma infinita cartela de aplicativos que servem para os diversos tipos de necessidades, até mesmo aquilo que você nem considerava necessário. O celular virou um grande display onde os gestores podem ter na palma da mão o desempenho da equipe, como estão por exemplo as vendas, a entrega de trabalho, a agenda de algum gerente, entre muitas outras coisas.

O líder também pode usar a tecnologia mobile para treinar seus colaboradores. Ela é conhecida como mobile learning e você pode entender melhor como ela funciona nesse post que fizemos no blog. Basicamente é possível criar maneiras diversas como games, quiz, vídeos e apresentações, os quais podem ser vistos e respondidos direto do celular. A correção pode ser feita no mesmo instante e sem todo custo/tempo dos treinamentos convencionais.

Inteligência Artificial: Apesar de parecer distante das empresas, essa tecnologia está amadurecendo e ganhando novas formas que ajudarão na resolução de diversos problemas com simples interações. Uma área onde em breve teremos testes é na interação com o cliente. Isso facilitará bastante o trabalho do líder em ter um feedback externo rapidamente. Aqui o trabalho está sempre sob uma análise, diferente do que acontece hoje, em que muitas vezes só se tem um feedback externo quando este é negativo e chega em forma de reclamação.

Voltado mais para a parte interna, a Inteligência Artificial pode ajudar ainda no processo de recrutamento. Empresas como Facebook, Google e IBM usam dessa tecnologia para analisar redes sociais de candidatos e amostras do trabalho, poupando parte do trabalho dos gestores de RH e fazendo uma seleção não para escolher o melhor, mas para eliminar os que não se enquadram. O filtro final ainda depende da interação humana, mas já está mais preciso.

Independente da tecnologia que você queira usar, é importante investir em alguma e começar a transformar sua empresa e a forma como seu líder trabalha com a equipe. As tecnologias darão ao líder mais tempo e liberdade de trabalhar com os colaboradores aquilo que as máquinas não conseguem fazer, que é a gestão de pessoas, porque afinal, a tecnologia deve ser um complemento e não uma substituição.