Como desenvolver um planejamento estratégico para RH?

2021-06-29T09:39:44-03:0026 junho, 2018|Estratégia Corporativa, Talent Management|

O planejamento estratégico para RH é a chave para o sucesso de uma empresa. E o principal responsável por ele, o RH, precisa estar atento a isso.

A modernidade trouxe uma série de facilidades para o dia a dia das empresas — entre elas, a otimização dos processos. No entanto, o volume de trabalho também aumentou, exigindo dos gestores um planejamento estratégico, especialmente por parte do RH.

O objetivo é o estabelecimento de ações mais criativas para engajar os colaboradores nas principais metas da empresa.

Mas como desenvolver um planejamento estratégico no RH diferenciado? Essa é a pergunta que muitos gestores se fazem. Por isso, no artigo de hoje, trouxemos algumas ideias que o ajudarão a estabelecer e alinhar as estratégias da corporação e do departamento de pessoal! Confira!

Conheça os objetivos do RH

Quais as necessidades da empresa no que diz respeito a seus recursos humanos? Essa é a primeira pergunta que o setor deve fazer antes de começar o planejamento — a ideia é propor ações que vão alavancar o negócio.

O RH deve estar atento à concorrência, às tendências e ao contexto empresarial e trabalhar em cima disso ante aos colaboradores. Esse tipo de preocupação, bem distante das configurações tradicionais dos antigos departamentos pessoais, é um marco da visão estratégica, a qual visa a alinhar negócios e capital humano de forma que todos os assuntos sejam estratégicos para a empresa.

Dentre os assuntos com os quais o setor deve se envolver, devem estar a taxa de turnover, a capacitação dos funcionários, o desempenho deles e a produtividade de cada área, só para dar alguns exemplos.

Tudo isso interfere no estabelecimento de objetivos do setor e é importante estar atento a esses pontos para poder supri-los. Mais do que isso, é essencial tratar desses índices como parte das atribuições.

Como objetivos concretos em relação a esses aspectos, podemos destacar alguns que devem ser perseguidos por um RH eficiente. São eles:

  • baixo índice de turnover;
  • desenvolvimento do capital intelectual;
  • atração e retenção de talentos;
  • alta produtividade;
  • satisfação de colaboradores;
  • clima organizacional favorável;
  • cultura de aprendizado;
  • fortalecimento de uma identidade coletiva (espírito de equipe).

Logicamente, não é uma tarefa fácil alcançar níveis tão bons em fatores de naturezas distintas. No entanto, para viabilizar esses objetivos, o RH estratégico conta com o auxílio das tecnologias e das métricas.

As métricas, por sua vez, são elementos indispensáveis para obter conhecimento sobre os índices em cada um desses fatores, norteando as decisões dos setores de forma mais assertiva.

Comunicação interna

Analise as oportunidades existentes

Para fazer essa análise, o RH precisa estabelecer uma matriz SWOT. Esse método ajuda a empresa a identificar não só as oportunidades de negócio, mas também os seus pontos fortes e fracos, além das ameaças.

Como o ambiente interno é formado por recursos de todos os tipos, que vão do financeiro ao humano, a análise SWOT ajuda a transformar tudo isso em vantagem competitiva. Por isso, essa análise estratégica é chave para se diferenciar dos concorrentes.

Assim como falamos no tópico anterior, trabalhar em cima de um planejamento estratégico requer ferramentas eficazes que possibilitem a análise dos negócios. Logo, a matriz SWOT representa um instrumento para se alcançar esse planejamento.

Ela vai auxiliar gestores na hora de definir ações, metas e iniciativas que vão direcionar as operações. Para quem não sabe no que consiste essa matriz, trata-se de um método que funciona com base em 4 conceitos principais. São eles:

  1. strenghts – forças;
  2. weaknesses – fraquezas;
  3. opportunities – oportunidades;
  4. threats – ameaças.

A partir daí, é possível estruturar uma análise mais detalhada e integrada sobre a empresa e planejar ações e estratégias para evoluir de acordo com os novos objetivos. Vale destacar que ela é integrada porque consegue analisar de maneira alinhada os cenários interno e externo.

Aposte na capacitação gerencial

O desenvolvimento dos colaboradores por meio de treinamentos é fundamental para qualquer empresa que deseja se destacar no mercado. Isso porque a atualização permite que a empresa alinhe as suas metas às necessidades do segmento, atuando de maneira estratégica diante do consumidor.

Logo, a capacitação gerencial deve estar em destaque no planejamento estratégico do RH, já que é ela quem vai direcionar todos os esforços do grupo rumo a resultados mais satisfatórios para a organização, visto que o ambiente de negócios, hoje, exige agilidade, dinamicidade, eficácia e inovação.

Lembre-se de que os gestores precisam saber lidar com emoções, reconhecer a dedicação dos seus colaboradores, sempre envolvendo a equipe na elaboração dos projetos, o que é proporcionado pela capacitação de qualidade do gerente.

Com isso, a capacitação de gestores nesse novo modelo de RH envolve repensar o tipo de gestão de que a empresa precisa, bem como competências, transformando, assim, a mentalidade de equipes e gerentes em relação ao conceito de liderança e às novas relações estabelecidas entre eles.

O verdadeiro sucesso de uma gestão é a capacidade de criar um elo entre os colaboradores, com suas aspirações individuais, e as estratégias da empresa.

Uma má gestão traz problemas na comunicação, insatisfação entre os colaboradores, expectativas frustradas, desmotivação, dentre outros prejuízos. Tudo isso reflete diretamente na vida dessas pessoas e nos resultados da empresa.

Portanto, é parte da gestão estratégica ter um olhar para as necessidades do colaborador e tornar o trabalho uma fonte de crescimento e satisfação mútua e não um sacrifício ou obstáculo para as equipes.

O RH tem um papel importante nesse sentido, pois ele que vai direcionar os outros setores para esse tipo de cultura organizacional, implementando políticas internas e ações que aumentem a coesão entre os que fazem parte da organização. Envolva os outros setores na elaboração do planejamento estratégico

Um dos principais motivos pelo qual o planejamento estratégico não sai do papel é que o RH restringe o trabalho somente ao setor. Mas é preciso envolver outros departamentos da empresa para que ele, de fato, aconteça, e para conhecer as suas necessidades, as forças e os gaps de competências que precisam ser supridos para que a atuação da organização seja estratégica.

Por isso, não negligencie a comunicação. Faça com que ela aconteça de maneira horizontal.

A participação de todos pode gerar muitos insights sobre o que a empresa pode fazer para avançar, inclusive, o planejamento deve funcionar como um norte para que o RH aloque os colaboradores nos projetos certos.

Com o planejamento estratégico no RH, o setor poderá aprofundar a sua atuação, garantindo resultados mais satisfatórios tanto para o setor quanto para o negócio como um todo. Não se esqueça de que isso se reflete diretamente em números e no estabelecimento da marca.

Agora que você já entende que o planejamento estratégico é essencial para dar mais relevância à atuação do RH, que tal entender sobre outros conceitos relacionados? Siga nossas páginas nas redes sociais e acompanhe cada novidade que postamos: estamos no Facebook e no LinkedIn!

Ir ao Topo