Síndrome de burnout: saiba o que é e como evitá-la na sua empresa

2020-10-15T13:57:12-03:0015 outubro, 2020|Gestão de Pessoas|

Falta de motivação, estresse prolongado, irritabilidade, dores de cabeça, insônia podem ser sinais de esgotamento físico e mental. As longas jornadas de trabalho, o acúmulo de responsabilidades e atividades causam tensão emocional e estresse crônico. Se você vem sentindo todos esses sintomas, fique atento. Você pode estar com a chamada Síndrome de Burnout(ou Síndrome do Esgotamento Nervoso).

A síndrome é desenvolvida como uma resposta do corpo ao estresse excessivo e prolongado de atividades relacionadas ao trabalho. A exaustão intensa faz com que um indivíduo se torne incapaz de atender às demandas e atividades da sua função no trabalho.Por isso, é importante reconhecer os sintomas antes de chegar ao extremo e saber como agir.

Quando não for realizado um tratamento adequado, pode resultar em um estado de depressão profunda. Por isso, o quanto antes, é preciso adotar medidas e desenvolver estratégias que ajudam a aliviar o estresse e a pressão constantes. Leia o artigo e entenda mais sobre o assunto.

O que é a síndrome de burnout?

A síndrome de burnout é um distúrbio caracterizado pelo estado de tensão emocional e desgaste físico e mental, levando a um esgotamento profissional.  Ela ocorre quando o indivíduo se sente exausto devido a grande sobrecarga provocada pelo trabalho. Algumas situações de estresse faz parte do cotidiano, principalmente diante de um mundo bastante tecnológico. Sendo assim, é importante estar atento a quando esse estresse se torna prejudicial.

Essa síndrome é mais comum em pessoas cuja rotina de trabalho exige maior envolvimento direto e intenso. Ou seja, profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais e mulheres que enfrentam uma dupla jornada estão mais propensas a desenvolver esse transtorno.

As causas dessa síndrome podem variar. Pode ser causada por estresse habitual no trabalho, típico da atividade de conflito ou pode ser por uma sobrecarga de trabalho, desacordo entre os objetivos da empresa e os valores pessoais dos indivíduos. Além disso, pode advir de questões pessoais, familiares ou de relacionamentos.

Existem sinais de que o indivíduo esta começando a desenvolver a síndrome como dedicar-se intensa e descontroladamente ao trabalho, deixar de dormir, sair com os amigos, não enfrentar conflitos, negação dos problemas, aversão à socialização, tristeza intensa e, principalmente, colapso físico e mental. Este último é o estado de emergência, onde é preciso de auxílio médico e psicológico.

Principais sintomas da Síndrome de Burnout?

Como os sintomas da síndrome começam de forma leve, muitas vezes, as pessoas acham que é algo passageiro e não se preocupam. Entretanto, com o passar do tempo, as manifestações tendem aumentar e por isso é de extrema importância buscar uma ajuda médica e iniciar um tratamento.

O sintoma mais comum da síndrome de burnout é a sensação de esgotamento físico e emocional que levam a atitudes negativas, como ausências no trabalho, agressividade, isolamento, alterações de humor, dificuldade de concentração, lapsos de memória, ansiedade, baixa autoestima, depressão e pessimismo.

Além disso, sintomas físicos como dores de cabeça, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, distúrbios gastrintestinais também podem estar associadas à síndrome. O diagnóstico deve ser feita por profissionais especialistas. No caso, o psiquiatra e o psicólogo são os profissionais mais adequados para identificar o distúrbio e orientar a melhor forma de tratamento.

O tratamento com um psicólogo é muito importante, pois o terapeuta ajuda o indivíduo a encontrar estratégias para combater o estresse. Além disso, a sessão é um momento onde o paciente pode desabafar e haver uma troca de experiências que ajudam a melhorar o autoconhecimento e a ganhar mais segurança no seu trabalho.

Vale ressaltar que as pessoas mais afetadas por essa síndrome são mulheres, já que a maioria delas vivencia uma jornada dupla de trabalho, no trabalho fora de casa e nas outras tarefas domésticas como mãe, esposa, estudante, entre outras.

Como evitar a Síndrome de Burnout?

Sempre que surgem os primeiros sinais de Burnout é importante procurar estratégias que ajudam a reduzir o estresse e mudar o estilo de vida. Existem meios de prevenir e de tratar o Burnout. Veja seguir 5 maneiras que podem te ajudar.

1. Reorganização do trabalho

Em primeiro lugar, reorganizar as suas tarefas e rotina de trabalho deve ser o primeiro passo para se evitar a síndrome. Estabeleça prioridades e organize as demandas mais urgentes e defina quais são os seus objetivos a longo prazo. É o momento de pegar mais leve com a vida profissional, redistribuir atividades, diz não a determinadas demandas, evitando assim a sobrecarga de trabalho.

2. Mantenha o diálogo

Principalmente dentro de uma organização é essencial que tenha uma boa comunicação entre gestor e colaborador. A convivência e colaboração precisam ocorrer. Com isso os dias serão melhores e menos estressantes para todos. Caso tenha algum problema, seja ele de saúde ou do trabalho, a transparência e diálogo são as melhores soluções.

Comunicação internaPowered by Rock Convert

3. Pratique exercícios físicos

Essa é a hora de se movimentar! Escolha uma atividade física prazerosa que se encaixe na sua rotina. Além dos exercícios físicos auxiliarem a liberar a tensão dos músculos, também se transforma em uma rotina saudável. A atividade física é um momento de relaxamento e de autocuidado.

 4. Autoconhecimento

Entenda seu corpo, escute o que ele diz, entenda seus limites. Não se cobre tanto e entenda que cada pessoa tem seus limites. A sua saúde e bem-estar estão em primeiro lugar.

5. Aproveite momentos de lazer

Por fim, uma boa forma de prevenir a Síndrome de Burnout é ter momentos de lazer e relaxamento para descansar a mente e o corpo. Além da prevenção, também são ótimos para o tratamento da síndrome.

Vimos como é fundamental cuidar da saúde mental e física dos nossos profissionais. É importante que o setor de Recursos Humanos esteja preparado para identificar possíveis sintomas, assim propor auxílio aos colaboradores. Quando o colaborador faz o tratamento de forma adequada, passa a perceber sinais de melhoria, adoção de uma vida saudável e mais produtiva.

Gostou das dicas deste artigo? Siga-nos nas redes sociais e acompanhe nossos posts!

Deixar um comentário