Entenda agora a diferença entre cultura e clima organizacional

2021-09-27T08:45:18-03:0028 março, 2018|Gestão de Pessoas|

Cultura e clima organizacional são elementos cruciais para o sucesso de um negócio, porém, cada um possui suas características e peculiaridades. Ao entendê-las, é possível extrair melhores resultados e beneficiar a empresa. Confira no artigo!

Há muito tempo o salário deixou de ser a principal preocupação das empresas e dos colaboradores. Afinal, os colaboradores deixaram de serem vistos somente como força de trabalho e passaram a ser parceiros do negócio. Essa mudança transformou a remuneração em um dos vários outros aspectos fundamentais para a motivação e engajamento no trabalho.

Hoje, o ambiente de trabalho é considerado o maior responsável pelo engajamento e a retenção de talentos na organização. Isso através da promoção de qualidade de vida e senso de propósito no trabalho.

Sem dúvida, a cultura e o clima organizacional influenciam na forma como as pessoas pensam, agem e reagem dentro da empresa, fazendo-as mais ou menos produtivas. Contudo, você compreende a diferença entre esses dois termos tão importantes?

Pensando no assunto, elaboramos este artigo. Nele, você irá descobrir as principais vantagens, conceitos e diferenças entre os termos. Boa leitura!

Afinal, o que é cultura organizacional?

Existem muitas definições de cultura organizacional, porém, são complexas e imprecisas. De modo claro, a cultura é o conjunto das crenças, hábitos e valores compartilhados dentro de uma empresa, os quais moldam a forma de pensar, agir e reagir dos seus integrantes.

Imagine a distribuidora de bebidas AmBev, sua cultura é de alto desempenho. Isso significa que este é um valor compartilhado internamente e que todas as ações, mesmo que inconscientemente, caminham rumo a este objetivo. O mesmo ocorre com a Toyota, que dissemina seus valores em torno da qualidade.

Portanto, é a cultura organizacional que definirá as fronteiras de uma organização e estabelecerá sua identidade e propósito.

No entanto, é importante explicar que a cultura organizacional não se desenvolve sozinha. Se assim fosse, ela seria indefinida, porque cada colaborador traz para a organização sua própria cultura e isso geraria um enorme conflito interno.

A cultura organizacional é a identidade da empresa, seu DNA. Portanto, precisa ser definida através dos valores que nortearão sua constituição e desenvolvimento.

Assim sendo, definir a cultura de uma organização é uma responsabilidade da alta liderança e disseminá-la é um papel do RH. Essa disseminação da cultura é tão importante quanto sua definição, afinal, é ela que garantirá que todos os colaboradores atuem de forma alinhada aos valores da organização.

No entanto, isso não impede que a cultura organizacional sofra alterações graduais na medida que alta liderança considere necessária essa modificação, ou até mesmo por influências externas aos negócios da empresa.

O mais importante é que o setor de recursos humanos acompanhe as mudanças e esteja preparado para atuar na preservação dos interesses do negócio. Dessa forma, é possível garantir que essa cultura esteja sempre em consonância com as expectativas da alta liderança e os objetivos estratégicos da organização.

E o clima organizacional…

O clima organizacional é como os colaboradores percebem a qualidade do ambiente interno e como ele influencia o seu comportamento. Para muitos, o clima também é considerado uma “atmosfera” interna que gera uma série de sensações.

Quando o clima é positivo, é comum que as equipes sejam unidas, assíduas ao trabalho e motivadas. Caso contrário, o número de conflitos é maior, assim como a rotatividade de talentos e retrabalhos ao longo do expediente.

Esse clima é originário das ações realizadas pelo setor de recursos humanos, em prol da disseminação da cultura organizacional. Mas também sofre influência da cultura pessoal dos colaboradores, já que o clima está ligado as interações nas rotinas de trabalho.

Enquanto a cultura organizacional sofre alterações de forma lenta, o clima pode ter alterações repentinas, já que ele sofre influências internas e externas. Um exemplo disso são as divergências que podem ocorrer em decorrência dos processos de trabalho. Se questões como essas não são bem resolvidas entre as partes, podem influenciar as relações de trabalho e impactar negativamente o clima organizacional.

Nesse sentido, podemos dizer que o clima organizacional é o termômetro que indicará como andam as relações no ambiente de trabalho. A partir dele o setor de recursos humanos poderá medir o nível de satisfação dos colaboradores em relação á todos os aspectos organizacionais.

As vantagens da cultura e do clima na empresa

Certamente, uma cultura adequada influencia na forma como o público interno estabelece suas prioridades diárias. Logo, se a cultura tem foco na satisfação dos clientes, isso é o mais importante e, portanto, tratado prioritariamente.

Ao estabelecer uma cultura adequada, é possível engajar todos os funcionários na busca por determinados objetivos, fazendo-os entregar grandes resultados.

Além disso, uma cultura bem estabelecida e alinhada as estratégias, missão, visão e valores da empresa, pode contribuir para a atração e retenção de talentos. Afinal, quando falamos de cultura organizacional, estamos falando também de employer branding.

E ainda, é a cultura organizacional que promoverá nos colaboradores o senso de pertencimento, diminuindo com isso os índices de turnover e absenteísmo.

Já o clima organizacional, por sua vez, garante que se tenha boas relações dentro da empresa e que o ambiente seja propício ao trabalho. Sem um bom clima, é impossível colaborar, estabelecer vínculos ou trabalhar em equipe.

E se quando falamos de cultura organizacional, fazemos relação direta com a marca empregadora (employer branding), em contrapartida, quando falamos em clima organizacional, estamos promovendo o employee experience. Afinal, as boas relações de trabalho e a gestão do clima, são responsáveis pela melhor experiência do cliente interno na organização.

Podemos dizer então que o clima organizacional sofre influência direta da cultura da empresa. Já que é essa cultura que norteia as relações de trabalho.

Dessa forma, cultura e clima influenciam no alcance das metas, no desempenho dos funcionários, na percepção de prioridades, na atração e retenção de talentos e no sucesso do negócio.

ebook cultura organizacional

E quais as principais diferenças entre cultura e clima?

Existem algumas diferenças que podem se destacar, porém, as principais referem-se à abrangência e permanência.

A cultura organizacional abrange toda a empresa, fazendo com que os diversos setores e equipes andem na mesma direção — seja em busca da qualidade, alta performance, satisfação do cliente ou o que julgar mais importante. 

O clima, por sua vez, pode variar muito de acordo com cada equipe ou setor da empresa. É possível que o setor financeiro seja denso e conflituoso, enquanto o setor de vendas seja unido e estável.

Outro ponto está relacionado à permanência. A cultura é muito mais difícil de ser construída, pois depende das diversas relações interpessoais. Desse modo, é muito difícil promover modificações, seja para o bem ou para o mal.

Assim sendo, como falamos mais acima, é possível que ela sofra modificações. Mas isso ocorre de maneira gradual e depende em muito das intervenções do setor de recursos humanos.

Com o clima organizacional é diferente. É possível que em um mês a “atmosfera” esteja positiva, promovendo bons relacionamentos e colaboração, e no outro, por conta de uma crise econômica, esteja denso e promova conflitos.

Além, claro, do exemplo de demos acima, de alterações no clima em decorrências de questões que podem ser internas e estar relacionadas as interações da equipe.

Concluindo

Podemos ver claramente a diferença entre cultura e clima organizacional. Todavia, ambos são cruciais para a gestão de pessoas, construção de equipes de alta performance e para o alcance dos objetivos organizacionais.

Através da construção e disseminação de uma cultura alinhada aos valores da organização é possível estabelecer um clima organizacional que favoreça o alcance dos resultados esperados.

Cabe ao setor de recursos humanos não só propor ações de disseminação da cultura da empresa, como também atuar na gestão do clima, garantindo com isso a melhor experiência de trabalho para seu cliente interno.

Dada a importância desse tema, é muito importante que o setor de recursos humanos disponha de tempo para realizar a gestão tanto da cultura quanto do clima organizacional. Essa gestão de clima pode ser realizada através de pesquisa de clima e até avaliações pontuais na medida que novos processos são colocados em prática.

Falando em tempo, uma das formas de preservar tempo para que o setor de recursos humanos possa atuar de forma estratégica na gestão do clima organizacional é através da automação de processos operacionais e burocráticos. E isso pode ser feito através de softwares especializados em processos de RH.

SER HCM

E por falar em tecnologia especializada em gestão de RH, sua empresa já conhece a SER HCM? Essa é uma ferramenta de gestão desenvolvida pela SER para oferecer ao seu RH uma experiência transformadora na Gestão de Pessoas. Para conhecê-la, entre em contato com nossa equipe e proporcione ao seu RH uma experiência inovadora com atendimento High Touch, ou seja, totalmente personalizado à necessidade da sua organização.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para continuar aprendendo. Conheça o que é uma pesquisa de clima organizacional e saiba como ela pode te ajudar para uma gestão de pessoas de sucesso!

E não deixe de assinar nossa Newsletter e receber diretamente em seu e-mail os melhores conteúdos em Gestão de Pessoas! E você ainda pode curtir, comentar e compartilhar em suas redes sociais.

Compartilhar este Artigo

Ir ao Topo