Proteção de dados: como deixar o consumidor e seus colaboradores mais seguros

2019-05-14T10:43:24-03:0017 outubro, 2018|Tecnologia para RH|

 

Os bancos de dados e por consequência a proteção de dados nunca foram tão importantes! As maiores empresas do mundo possuem infinitas informações sobre seus atuais e futuros clientes, que contribuem para tomada de decisões em diversas ações, como campanhas de marketing, expansão da marca e até no recrutamento de colaboradores.

No entanto, é necessário tomar muito cuidado com o armazenamento e a proteção destes dados. As empresas têm em seu sistema muitas informações sigilosas de seus consumidores e colaboradores, e, por isso, muitas vezes são alvos de hackers que desejam ter acesso a esses números e utilizá-los para aplicar golpes, como clonar cartões de créditos.

Por conta disso, nota-se a necessidade de se ter um sistema de proteção de dados eficiente, as consequências para o vazamento de dados são extremamente graves e impactam negativamente o comércio. Leia este artigo até o final e saiba mais sobre este assunto tão relevante.

Por que os dados são importantes?

Pode-se dizer que, durante muitas décadas, os proprietários das lojas tomavam suas decisões com base em observações do dia-a-dia, muitas vezes imprecisas, não obtendo nenhum resultado impactante. Isso acontecia, pois não havia uma ferramenta que pudesse armazenar informações importantes.

A chegada da internet e sua expansão no mundo inteiro tornou possível a coleta e o agrupamento de informações, não só de clientes atuais, mas também de pessoas que podem ser futuros compradores da marca.

Os benefícios de se ter um amplo banco de dados vão muito além de captar clientes. As informações coletadas também são utilizadas como base para decisões internas, como contratações, retenção de talentos ou restruturação organizacional.

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

Este ano, no mês de julho, foi aprovada a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP) pelo Congresso. O projeto estava sendo discutido desde 2010. Com sua aprovação, o Brasil se iguala a centenas de países que já possuem leis específicas para esse assunto.

O varejo tem agora que se adequar às novas exigências. Uma das principais mudanças é o fato de que não basta o cliente ter o consentimento de que seus dados estão sendo armazenados, ele deve ser informado sobre quais são esses dados, o porquê de serem coletados e para qual utilidade.

A aprovação da lei pode ser vista como um importante passo para a segurança dos consumidores. Para o varejo é uma oportunidade de conquistar a confiança dos clientes, pois a transparência é fundamental na relação da marca com seu público.

  Big Data

Big Data é um termo utilizado para descrever um imenso banco de dados diversos. Milhares de informações de diferentes pessoas são coletadas simultaneamente, através de softwares específicos. Elas são combinadas e utilizadas para aumentar a produtividade de vendas, cortar gastos e realizar outras ações no varejo.

 Já publicamos um texto falando sobre como utilizar o Big Data no RH. Confira aqui.

Por meio do Big Data, é possível entender qual reação os prospectos tiveram no primeiro contato com a marca, seja através de uma ação de marketing ou pelas redes sociais. Assim é possível saber quais pontos precisam ser trabalhados.

Smart Data

Ter dados a disposição é, desde sempre, extremamente importante para que um negócio tenha sucesso. Planejamentos estratégicos e avaliações de desempenho necessitam de dados organizados e analisados para que as informações sejam relevantes.

Porém, em meio a tantas informações coletadas no Big Data, muitas são desnecessárias para o negócio, por isso, é preciso transformar esse banco de dados em Smart Data.

Smart Data representa uma abordagem mais sofisticada para a coleta e análise de dados, permitindo a seleção de informações significativas.

Em resumo, consiste em converter uma infinidade de dados aleatórios em informações que podem servir de base para ações mais precisas.

Para a gestão de pessoas, o Casting é uma solução da SER que faz isso em poucos minutos, possibilitando que toda informação possa ser acessada por smartphones através de gráficos, indicadores e muito mais.

Como proteger os dados dos clientes?

Quando o assunto é proteção de dados não vale a pena economizar recursos para fortalecer a segurança de informações dos clientes. Não só o investimento financeiro é necessário, mas também é preciso dedicar tempo e estudar muito para encontrar as melhores maneiras de protegê-los.

Algumas ações são imprescindíveis nesse sentido. Para o e-commerce, é essencial usar uma plataforma segura e conexões confiáveis para transações online. É importante ter o auxílio de um profissional, pois os hackers e fraudadores possuem estratégias cada vez mais complexas, que exigem conhecimentos técnicos para evitá-los.

A gigante dos calçados brasileira, Netshoes, sofreu recentemente uma invasão hacker ao seu banco de dados, que causou o vazamento de informações de mais de 1,9 milhão de pessoas. O Ministério Público exigiu que a empresa ligasse para todos os clientes afetados para informá-los sobre o ocorrido.

O incidente com a Netshoes ilustra a importância da proteção dos dados dos clientes, pois uma vez que a segurança falha, muitos prejuízos surgem, como perdas financeiras, interrupção de negócios, danos à marca e de responsabilidade legal.

E então, o que achou deste assunto? Leia também os outros textos aqui do blog e não se esqueça de seguir a SER nas redes sociais para ficar por dentro das principais tendências do varejo.

1
Olá, podemos ajudar?
Powered by