Como aplicar a metodologia OKR com sucesso?

A metodologia OKR é uma ferramenta com foco em resultados, que já contribuiu para o crescimento de empresas como Google e Intel. Com ela, será possível otimizar os resultados do seu negócio!

O uso de metas é o alicerce para a sobrevivência e o crescimento de muitos negócios, os quais engajam-se na busca de resultados cada vez maiores. Nesse sentido, é importante saber como aplicar a metodologia OKR (Objectives and Key Results).

Essa metodologia é utilizada por muitas empresas. Um ótimo exemplo é a Google, que começou a usá-la em 1999, quando ainda tinha 40 funcionários. No Brasil, ela é utilizada por empresas como OLX, Nubank e Locaweb — algumas das que mais crescem.

Pensando nisso, criamos um guia sobre como aplicar a metodologia OKR. Confira!

Objectives and Key Results

Em português, o nome significa: objetivos e resultados-chave. Genericamente, é uma variação da meta mais tradicional (em geral, desenvolvida no formato SMART). Por muitos, é considerada mais fácil de desenvolver, interpretar e engajar resultados exponenciais.

Tudo começa na definição de um objetivo, que deve ser desafiador e realista, como “ser a empresa número um no coração dos clientes”. Depois, ele é desmembrado em resultados menores, os quais devem ser alcançados em curto/médio prazo.

Aprenda passo a passo a escolher um
Modelo de avaliação e como implantá-lo!

cta

Estrutura da metodologia OKR para aplicação

Não há um criador específico da ferramenta, mas um dos seus grandes mentores foi Andy Grove, ex-presidente da Intel. Para obter o máximo de resultados, é preciso conhecer a sua estrutura, dividida em apenas duas partes:

  • objetivo: é o que deve ser alcançado;
  • resultados-chave: são métricas que balizam o alcance do objetivo.

Veja um exemplo prático:

  • objetivo: ter uma equipe de alto desempenho;
  • KR1: aumentar a satisfação interna em 25%;
  • KR2: treinar 100% dos profissionais;
  • KR3: reduzir o turnover em 15%.

Níveis organizacional, departamental e individual

É comum que algumas pessoas criem metas apenas em um nível maior, apontando para onde toda a empresa deve seguir. Isso é um equívoco — também se deve apontar a direção para os departamentos e profissionais da empresa.

Conheça os diferentes níveis de OKR:

  • nível organizacional: refere-se ao nível mais elevado, tratando de ações estratégicas e que impactam em toda a empresa;
  • nível departamental: servem para otimizar os resultados de um departamento específico, como o de vendas ou RH;
  • nível individual: é ainda menor, com foco no aprimoramento do desempenho de um colaborador ou equipe enxuta.

Apesar de serem diferentes níveis, é importante manter todos muito bem alinhados, apontando em uma única direção. Assim, sempre que OKRs individuais e departamentais forem conquistados, torna-se mais fácil atingir os de nível organizacional.

Aprenda passo a passo a escolher um
Modelo de avaliação e como implantá-lo!

cta

Alinhamento com o time de funcionários

Todo OKR deve estar bem alinhado com o time responsável pelo seu alcance. Afinal, são os profissionais que vão colocar a mão na massa. Para tanto, comece definindo uma quantidade pequena de objetivos, entre três e cinco, com até cinco resultados-chave para cada.

Ao fazer isso, é possível manter todos os profissionais alinhados, com foco no que realmente importa para a companhia. Ainda é possível envolvê-los na definição de ao menos 50% dos OKRs, porque assim se sentirão mais partes do processo e ficarão mais motivados.

Agora você está por dentro do assunto! Aproveite para definir OKRs nos níveis organizacional, departamental e individual da sua empresa, contando com a ajuda dos colaboradores para torná-los ainda mais interessantes.

Gostou do nosso conteúdo? Está pronto para aplicar a metodologia OKR em seu empreendimento?

Aproveite para deixar o seu comentário em nosso post. Compartilhe as suas dúvidas, sugestões ou experiências sobre o assunto. Vamos lá!