Gestão de benefícios: qual a sua importância e por que fazer?

2020-08-03T14:01:37-03:003 agosto, 2020|Talent Management|

A gestão de pessoas tem uma série de desafios, como atrair e reter gente talentosa, além de motivar as equipes de trabalho. Para superá-los, é preciso contar com boas estratégias — e é aí que entra a chamada gestão de benefícios.

Entenda benefício como todo excedente ao salário do talento. O vale-cultura e o no dress code são dois exemplos disso. Todavia, para extrair melhores resultados de tais excedentes e garantir que eles cheguem às pessoas certas, é preciso gerenciá-los. Sem essa gestão — a gestão de benefícios —, os resultados finais seriam menores e demandariam mais recursos.

Nos tópicos seguintes, apresentaremos as principais razões pelas quais é importante investir em gestão de benefícios. Continue a leitura!

Reforça a chamada marca empregadora

Mesmo sem notar, toda empresa conta com uma marca direcionada para o mercado de trabalho — chamada de marca empregadora (employer branding). Essa marca pode ser um ímã de profissionais talentosos, desde que bem administrada e utilizada com acerto.

A primeira vantagem da gestão de benefícios é justamente o reforço da marca empregadora. Os profissionais que estão no mercado de trabalho terão uma melhor imagem da empresa e desejarão fazer parte do quadro de pessoal, candidatando-se para mais processos seletivos.

Em outras palavras, será mais fácil veicular a imagem de boa empregadora, o que gera uma série de outras vantagens, como a atração de talentos.

Aumenta a fidelização dos atuais colaboradores

Há três principais tipos de colaboradores: os detratores, os neutros e os promotores da marca, sendo possível identificá-los com a métrica Employee Net Promoter Score (E-NPS). O desejado é sempre ter um grande número de promotores, que são leais à empresa.

Felizmente, a gestão de benefícios também impacta a fidelização. À medida que os talentos sentem-se beneficiados pela empresa, tornam-se mais leais à marca. Entretanto, se notam que a companhia pouco se empenha em beneficiá-los, tornam-se detratores.

Essa fidelização promove outros benefícios, como a redução dos índices de turnover e o absenteísmo. Os profissionais ficam mais tempo no quadro de trabalho, entregam melhores resultados e ainda falam bem da empresa para os seus amigos e familiares. Isso é ótimo.

Eleva o grau de motivação dos talentos

Há muitos conceitos de motivação. Em resumo, pense nela como uma espécie de energia que faz você agir e obter resultados fora do lugar-comum. Quando os profissionais e times estão motivados, suas entregas são maiores, mais frequentes e bem padronizadas.

Não é difícil notar que existe uma relação diretamente proporcional entre gestão de benefícios e motivação. À medida que os profissionais sentem-se mais beneficiados pela empresa, empenham-se mais — como uma espécie de agradecimento.

npsPowered by Rock Convert

Sendo assim, ao investir em gestão de benefícios, você terá uma equipe mais motivada e disposta a perseguir objetivos desafiadores. Os próprios funcionários desejarão trabalhar mais algumas horas por dia, atender a mais clientes e melhorar as suas métricas.

Reduz custos que não são estratégicos

O RH conta com uma série de custos, sendo possível dividi-los em dois principais: custos estratégicos e não estratégicos. A diferença é que o custo estratégico gera retorno sobre o investimento, enquanto o primeiro é apenas um gasto.

Sem um adequado processo de gestão, há uma grande possibilidade de que os benefícios oferecidos não agreguem valor aos talentos — logo, você terá um gasto. Isso é o que ocorre quando, por exemplo, você oferece descontos para o curso “x”, mas ninguém quer fazê-lo.

Por outro lado, ao fazer a gestão de benefícios, você terá custos estratégicos. Cada um dos seus benefícios será desejado pela equipe de trabalho e, em certo grau, usado. Isso promoverá um maior retorno sobre o investimento, assim como gerará profissionais mais engajados.

Aumenta o bem-estar no local de trabalho

O bem-estar no local de trabalho é algo essencial. Ele está relacionado a uma série de outras coisas importantes, como qualidade de vida e clima organizacional. Sendo assim, se falta bem-estar, a empresa pode ter uma série de problemas subsequentes.

A gestão de benefícios faz com que os talentos experimentem um nível superior de bem-estar, afinal, sentem-se mais bem cuidados pela empresa e recompensados pelo empenho diário. Isso também eleva a felicidade e a colaboração no ambiente de trabalho.

O maior nível de bem-estar promove uma série de benefícios financeiros à empresa. Sabe-se que equipes com qualidade de vida são, em média, 86% mais produtivas, e suas empresas, cerca de 70% mais rentáveis. Então, é preciso ter atenção ao assunto.

Reforça a cultura do empreendimento

A cultura é um dos elementos mais importantes no ambiente empresarial. Ela influencia o comportamento diário, a disposição da equipe e o senso de prioridade, entre muitas outras coisas. Por isso, é preciso saber que cultura você deseja desenvolver e como fazer isso.

Felizmente, a gestão é um ótimo direcionador da cultura. Com determinados benefícios, você conseguirá comunicar aos seus colaboradores o que é (e o que não é) valorizado pela empresa, bem como o que deve ser visto como prioritário (e o que não deve).

Quando você estabelece benefícios baseados no desempenho, como participação nos lucros do exercício, está mandando uma mensagem à equipe: resultados importam e todos devem persegui-los. O mesmo ocorre com outros benefícios, que enviam mensagens específicas.

Gera competitividade ao empreendimento

Todos esses benefícios, juntos, resultam em algo maior: a competitividade. Isso significa que a empresa torna-se mais competitiva à medida que consegue atrair, fidelizar e engajar um maior número de talentos, graças aos seus acertos em termos de gestão de benefícios.

Essa maior competitividade faz com que a organização supere seus competidores e tenha margens líquidas mais elevadas. Além disso, garante resultados perenes, que se sustentam ao longo dos anos. E o mais importante: alia tudo isso ao maior nível de bem-estar dos talentos.

Agora, você está por dentro do assunto e entende as vantagens da gestão de benefícios. Para fazer uso dessa gestão, concentre-se em três principais coisas: I) selecionar benefícios bem alinhados ao perfil da sua equipe de trabalho, II) facilitar o acesso a esses benefícios por meio de boas tecnologias e III) monitorar os resultados obtidos, no intuito de melhorar.

Gostou do nosso artigo, não é mesmo? Aproveite, então, para continuar aprendendo conosco. Veja quais são os principais desafios da retenção de talentos e como superá-los. Vamos lá!

Deixar um comentário