7 dicas de como implementar a cultura do feedback na empresa

2020-04-13T14:04:49-03:0013 abril, 2020|Talent Management|

O feedback ajuda a otimizar os resultados dos talentos, dos times e da própria empresa. Logo, é preciso implementar uma cultura de feedback. Sabe como fazer isso? Não?! Então, prossiga com a leitura.

O feedback é uma das mais importantes ferramentas gerenciais. Ele permite que os profissionais e equipes de trabalho alcancem resultados superiores, eliminando eventuais falhas e adotando as melhores práticas. Por isso, a cultura do feedback é crucial.

Em poucas palavas, o feedback consiste em um retorno de informação aos funcionários para deixá-los atentos às suas competências e incompetências. Torná-lo parte da cultura da empresa significa enraizá-lo profundamente, transformando-o no DNA organizacional.

Nos tópicos seguintes, apresentamos 7 dicas para você implementar a cultura de feedback na empresa e atingir resultados superiores. Acompanhe e saiba como começar.

1. Explique aos talentos o que é e o porquê

Quando não existe uma cultura de feedback, eventuais retornos de informação tendem a assustar os funcionários. Eles podem pensar que é algo negativo, sinal de que estão fazendo um mau trabalho e que serão demitidos a qualquer instante.

Exatamente por isso, é interessante comunicar aos funcionários a existência da nova prática de feedback. Para tanto, reúna as equipes e fale sobre o assunto, elimine as principais dúvidas existentes e mostre o benefício disso para o desempenho e o clima organizacional.

A adoção de uma cultura de feedback gera uma grande mudança no dia a dia. Portanto, pode sofrer resistência, especialmente quando não há um bom entendimento do que está acontecendo. Então, seja claro com os funcionários.

2. Conscientize os líderes de equipe sobre o assunto

Alguns dos feedbacks mais profundos e consistentes partem dos líderes que convivem diariamente com seus subordinados e equipes. Portanto, eles devem estar comprometidos com a implementação da cultura de feedback no ambiente de trabalho.

O problema é que muitos líderes enxergam o feedback como algo essencialmente negativo, uma espécie de crítica imprópria. Além disso, acabam com medo de serem malvistos pelos seus subordinados, o que prejudicaria seu relacionamento interpessoal.

É preciso quebrar esses paradigmas. O feedback é mais que uma crítica. Muitas vezes, pode ser um elogio bem fundamentado. Quando recebem bons feedbacks, os profissionais se sentem agradecidos e motivados a melhorar. Logo, o temor é impróprio.

3. Valorize feedbacks consistentes e equilibrados

O feedback não é um simples elogio, muito menos uma crítica vaga. Dar uma “bronca” na equipe não é feedback, reclamar do desempenho do funcionário também não. É preciso ter isso em mente para não confundir as coisas.

O primeiro item para que um retorno seja considerado feedback é a consistência. Ele deve ser mais profundo, baseado em evidências ou observações confiáveis. Isso garante que o talento não esteja apenas sendo mal interpretado e que o retorno de informação seja útil.

Comunicação internaPowered by Rock Convert

Outro ponto importante é o equilíbrio. Não há mal nenhum no feedback negativo, muito menos no positivo, mas fazer só uma ou outra coisa é um problema. Vale a pena encontrar um ponto de equilíbrio entre críticas e elogios, pois ninguém é péssimo ou perfeito.

4. Invista em reuniões one-on-one

É interessante estimular a reunião entre líderes e liderados, em todos os níveis da organização. Logo, o operário deve se encontrar com o supervisor, que deve se juntar ao gerente, e assim sucessivamente. Essas reuniões podem ser do tipo one-on-one.

Em poucas palavras, o modelo one-on-one (também escrito 1:1) é um encontro periódico entre líder e liderado, no qual o líder deve entregar um feedback ao liderado e também ouvir o que ele tem a dizer. É uma espécie de bate-papo individual e focado.

As reuniões 1:1 devem acontecer a cada 15 dias ou mensalmente. Em times pequenos, pode ocorrer até em períodos inferiores. Não há um tempo limite para a reunião, mas o ideal é não gastar mais de 60 minutos. Além disso, o líder deve ser claro.

5. Estimule outros sentidos de feedback

O feedback é comumente pensado do modo top-down, partindo do líder até seu liderado. Esse movimento é essencial, mas não é o único. Uma empresa que quer implementar uma cultura de feedback deve apostar em outros sentidos.

O feedback horizontalizado é importante. Nesse caso, os próprios funcionários contribuem para o crescimento dos seus colegas de trabalho. É comum que esse modelo seja anônimo e intermediado pelo departamento de RH. Assim, o risco de conflitos é reduzido.

Ainda é crucial contar com o feedback bottom-up, que parte da base (operários) até o líder imediato. Novamente, alguém deve intermediar o processo. A relação de poder entre líder e liderado prejudica a oferta de feedbacks diretos, sendo necessário o RH como mediador.

6. Monitore o progresso dos envolvidos

Quem recebe um feedback positivo ou negativo deve progredir. Os pontos fracos precisam ser corrigidos, eliminados ou mitigados. As competências devem ser padronizadas e melhor aproveitadas. Mas como avaliar se houve ou não progresso?

Nesse caso, é interessante que líder e liderado estabeleçam um conjunto de indicadores de desempenho, também chamados de KPIs. Se o funcionário recebeu um feedback sobre sua pontualidade, nada mais justo que monitorar sua assiduidade após o fato.

Esses indicadores permitem que o líder avalie melhor o desempenho dos seus liderados e tenha uma base mais consistente para notar se houve progresso, estagnação ou até retrocesso. Além disso, podem ser o ponto central das reuniões one-no-one.

7. Recompense as pessoas engajadas com o assunto

Uma das melhores estratégias para implantar ou mudar uma cultura é oferecer benefícios atraentes. Ao fazer isso de forma consistente em médio prazo, é possível engajar operários e líderes na direção certa, além de obter o benefício desejado.

Você pode premiar os profissionais mais assíduos às reuniões one-on-one ou aqueles com maior aproveitamento dos feedbacks, tendo em vista os KPIs definidos. Também pode reconhecer os líderes mais consistentes, que agendaram reuniões periódicas com os liderados.

Agora você está por dentro do tema e sabe como implementar a cultura do feedback na empresa. Trata-se de um processo de médio ou longo prazo, pois nenhuma cultura é transformada do dia para a noite. Então, se quiser ter bons resultados, conscientize líderes e liderados, estabeleça reuniões one-on-one periódicas, use indicadores e ofereça premiações atraentes.

Gostou do nosso artigo? Quer saber mais sobre feedback, gestão de pessoas e times de trabalho? Basta assinar a nossa newsletter para começar a receber novidades diretamente em seu e-mail.

Um Comentário

  1. […] Quer entender melhor como tornar as conversas de feedback em uma prática importante dentro da filosofia da organização? Preparamos um post com 7 passos para implementar uma cultura do feedback na empresa, fazendo dela um ponto de apoio importante para o alcance das metas. Aproveite para tirar uns minutos e conferir este conteúdo! […]

Deixar Um Comentário